Nunca abandone o amor.

Enfia teu pau no cu
To falando que to carente porra

A ansiedade. Esse sim é o mal do século. A depressão já foi a grande vilã agora é a ansiedade e o pior sintoma é o imediatismo, ficamos tão mal acostumados com a velocidade das coisas que queremos tudo para agora e é num geral. Se a página da interne não abre em 5 segundos ficamos impacientes, se o elevador demora 1 minuto para chegar, o farol demora para abrir, tudo é motivo do descontentamento do imediatismo que sofremos e com isso sentimos os sintomas da ansiedade insônia, nervosismo, irritação, falta de ar, suores e tantos outros, mas nada causa mais ansiedade do que o whatsapp, talvez seja ele o mal da década. 

Não existe nada pior que mandar a mensagem ver a sinalização de mensagem entregue e a última visualização do receptor no aplicativo e já sentimos os sintomas da ansiedade suor, nó na garganta e a velha e boa paranoia. Na paranoia não há possibilidade de a pessoa estar ocupada ou estar resolvendo um problema via o aplicativo, a paranoia diz que a pessoa está ignorando não quer mais conversar com você e novamente sente-se mais sintomas de ansiedade palpitação, nó na garganta, leve tontura, boca seca por que é inadmissível visualizar e não responder, matar recebe mais perdão que isso.

Ele me da atenção, carinho e proteção. Estou fodida…cairei em outra ilusão

Like this post
Tive um vizinho que gritava com a namorada ao telefone, sem se importar que o prédio inteiro ouvisse: “Não sei o que fazer! Fico mal contigo e fico mal sentigo!”. Sempre achei essa situação desoladora, e nem estou falando do português do sujeito. É duro ter apenas duas alternativas (ficar ou ir embora) e ambas serem terríveis.
?
Martha Medeiros.   (via thiaramacedo)

beardmodel:

Kult Model Agency - Platz für Männer: sedcard Marc Madeleyn

beiruting:

já me matei faz muito tempo 
me matei quando o tempo era escasso 
e o que havia entre o tempo e o espaço 
era o de sempre 
nunca mesmo o sempre passo 

morrer faz bem à vista e ao baço 
melhora o ritmo do pulso 
e clareia a alma 

morrer de vez em quando 
é a única coisa que me acalma

AMOR

esquecimento-consentido:

Amor, então,

também acaba?

Não, que eu saiba.

O que eu sei

é que se transforma

numa matéria-prima

que a vida se encarrega

de transformar em raiva.

Ou em rima.

Paulo Leminsk